As eleições de 2022 serão a maior da história em quantidade de candidaturas. Ao todo, 25.941 candidaturas foram deferidas — ou seja — irão disputar as eleições sem nenhum empecilho. Neste ano, 29.260 candidatos lançaram chapa para concorrer a 1.627 vagas para os cargos de deputado distrital, deputado estadual, deputado federal, senador, governador e presidente da República. Um aumento de 175 candidatos na comparação com o pleito de 2018.
Porém, como 1.818 candidaturas foram consideradas inaptas para concorrer, o número de postulantes baixou para 27.442. Desse total, 1.157 pedidos foram indeferidos com recurso, 275 ainda estão pendentes de julgamento, 67 foram deferidas com recurso e dois pedidos não foram conhecidos com recurso.
O principal motivo para cassação ou indeferimento de candidatura foi a ausência de algum requisito necessário para o registro, o que foi o caso de 1.587 concorrentes. Em 332 casos, a razão foi o indeferimento do partido ou da coligação do postulante e 189 aspirantes tiveram a candidatura barrada pela Lei da Ficha Limpa (LC 64/90). Abuso de poder (9), gasto ilícito de recursos (3), compra de voto (2) e conduta vedada (2) foram os outros motivos que causaram cassação ou indeferimento de candidatura.
O partido do presidente Jair Bolsonaro (PL), que concorre à reeleição, é a sigla com mais postulantes para o pleito do dia 2 de outubro, com 1.618 candidaturas. As legendas União Brasil (1.546), Republicanos (1.461), MDB (1.401) e PDT (1.369) completam o top 5 da lista (confira abaixo a lista completa).
Fundado em 2016 e registrado oficialmente em 2019, o partido Unidade Popular pelo Socialismo, do candidato à presidência Leonardo Péricles (UP), é a sigla com menos candidatos na disputa deste ano, com 68 ao todo.

perfil
perfil (foto: pacifico)

 

Digite seu endereço de e-mail para acompanhar as notícias diárias do Correio Braziliense.

source