Neste ano, mais de 697 mil pessoas que moram em outros países poderão ir às urnas no dia 2 de outubro e votar para os cargos de presidente e vice-presidente da República. O número representa um aumento de 39,21% em relação a 2018, quando foram realizadas as últimas Eleições Gerais. No Japão as votações começaram às 20h no horário oficial brasileiro.
No pleito de 2022, a votação ocorrerá em 181 cidades estrangeiras, de Xangai, na China, a Nova Iorque, nos Estados Unidos. Por volta das 8h, horário local do Japão, as votações começaram a ter filas grandes, pois muitos queria votar no primeiro momento. 
 

  • Votações começam no Japão Arquivo Pessoal
  • Votações começam no Japão Arquivo Pessoal
  • Votações começam no Japão Arquivo Pessoal
  • Votações começam no Japão Arquivo Pessoal
  • Votações começam no Japão Arquivo Pessoal
  • Votações começam no Japão Arquivo Pessoal
  • Votações começam no Japão Arquivo Pessoal


Em abril, o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou a instalação de postos de votação fora da sede das embaixadas e repartições consulares em 21 países. A decisão atendeu a um pedido feito pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE), que apontou a necessidade de criação de novas seções eleitorais para abarcar o índice crescente de eleitores que não votam no Brasil.
Vale lembrar que o voto é facultativo para menores de 18 anos, maiores de 70 e pessoas analfabetas. Sendo assim, brasileiros maiores de idade que residem no exterior devem cumprir as obrigações eleitorais e votar, ao menos, para escolher as candidaturas à Presidência e à Vice-Presidência.
No entanto, quem optar por manter o domicílio eleitoral em município brasileiro continua obrigado a votar em todas as eleições. Nesse caso, será necessário justificar as ausências às urnas enquanto estiver fora do país.

 
Digite seu endereço de e-mail para acompanhar as notícias diárias do Correio Braziliense.

source